Nada novo no fronte

Hoje eu parei para pensar em tudo que eu quero fazer, mas não consigo colocar em prática. Ioga é uma delas. Eu vejo vídeos e páginas de ioga na web e fico pensando: “nossa, como eu quero começar a fazer isso, mas nem sei por onde começar…” e acabo desistindo antes mesmo de começar. Li que isso se chama precrastinação, quando você sofre por antecipação porque tem que fazer algo que pode ser muito difícil ou que você está com preguiça de procurar.

Mas além disso, tem o fato de que não tenho muito espaço em casa para fazer ioga (tenho, mas não é confortável) e sinto muita timidez em sair de casa para praticar em algum parque ou praça (existem muitos por aqui). Algumas vezes, começar do simples pode ajudar, mas sei que nada vai mudar se eu continuar encontrando desculpas para não fazer.

Pelo menos eu comecei a caminhar com uma amiga e, em alguns trechos, até corremos! Estamos fazendo com que isso se torne um hábito, mas confesso que a dor nas pernas que eu sinto todos os dias é algo muito desmotivador. Fico pensando: “será que era pra ser assim?” porque sentir dor na panturrilha todos os dias não é necessariamente um sinal de que eu estou progredindo, mas de que algo está errado, seja no meu corpo ou na minha prática. Algumas vezes parece que a minha vida é o clipe de Walk of Life.

E por falar em coisas erradas, os planos de emagrecer estão fracassando mais uma vez. Em vez de perder peso, eu ganhei aproximadamente novecentos gramas. Essa coisa de tudo só depende de você não é muito favorável, sabe? Ouço isso algumas vezes, mas se torna algo repetitivo. Eu sei que depende só de mim, mas esse é a parte mais complicada do processo. Confiar em mim mesmo o suficiente pra não comer em excesso e mudar aos poucos a minha alimentação.

De nada adianta tomar medidas drásticas, como cortar o açúcar – do café, do chá, doces em geral – e começar a sentir mais fome durante o dia. E vem mais comentário, como o das pessoas que acham que adoçante faz milagre, mas não sabem que substituir o adoçante por açúcar pode engordar mais ainda. São pequenos dilemas que me impedem de resolver os grandes dilemas.

Entre os grandes dilemas estão: avançar em minha dissertação, fazer outras tarefas da pós-graduação e delegadas por meu orientador, participar das atividades do grupo de pesquisa e colocar as leituras em dia. Tem sido um processo árduo e a dificuldade de acordar cedo só tem piorado tudo. Às vezes eu tenho plena certeza de que eu sou capaz de dar conta de tudo isso, mas só conseguirei se for capaz de lidar com minha inépcia em acordar cedo.

Sou muito organizado, mas de nada adianta se não consigo deixar essa organização ser posta em prática. Quando eu decidi fechar o site por um ano, eu disse:

“Para aqueles que pensam que eu estou abdicando disso para focar na minha vida acadêmica, saibam que não é bem assim. A prioridade é sim a parte acadêmica, mas concomitantemente, pretendo aperfeiçoar alguns projetos pessoais, algumas ideias engavetadas e inclusive planejar o meu cantinho de escritos. Enquanto isso, também pretendo focar na minha saúde e bem-estar. Enfim, é tentar mudar tudo aquilo que eu reclamei no post de um mês atrás.”

E percebi que sinto necessidade de contar aqui como anda a minha vida enquanto eu tento mudar o que foi dito. Nada mudou muito, como você pode ver, exceto o fato de que eu aparecerei algumas vezes por aqui para dizer como as coisas andam.

Obrigado por ler até aqui.

Anúncios

Concorda, discorda ou está só olhando? Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s